Acacio Queiroz analisa as perspectivas do mercado para a tv bloomberg

Acacio Queiroz analisa as perspectivas do mercado para a tv bloomberg

0 291

O economista Acacio Queiroz, presidente & CEO da Chubb Seguros, foi convidado pela TV Bloomberg para analisar o futuro cenário do mercado segurador, da economia nacional e a participação de empresas estrangeiras em vários setores de negócios.

Segundo o executivo, em entrevista para o programa Perspectiva Bloomberg da última quinta-feira, dia 3/12, os investimentos estrangeiros estão voltados para o Brasil devido, principalmente, às perspectivas futuras de crescimento com a ajuda de projetos desenvolvimentistas como o PAC e o Pré-Sal, além de eventos especiais como Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016, que representam a movimentação de aproximadamente R$ 800 bilhões e o envolvimento de vários setores da economia nos próximos dez anos.

Já a participação das empresas estrangeiras no mercado segurador representa hoje 41% da receita do setor. Para o executivo, isso tem trazido ao país um desenvolvimento significativo e que, juntamente com o advento da abertura do mercado de resseguros, irá contribuir cada vez mais para o avanço do setor. Durante os próximos anos, as seguradoras continuarão investindo porque a demanda por seguros, com esses novos eventos, será cada vez maior e as corporações devem estar preparadas para atender esta procura.

Queiroz acredita que o mercado segurador fechará o ano com um crescimento, na faixa de 14%, já considerando nesse percentual os números da Previdência e Capitalização. Ele aposta que, para 2010, esse índice de crescimento voltará para a faixa dos últimos três anos alcançando a margem de 20%.

Na avaliação do CEO, o ritmo de expansão do Brasil deverá continuar mesmo se o governo deixar de oferecer estímulos para o crescimento. “O grande segredo do sucesso do plano anti-crise está exatamente em como você remove esses incentivos que estão existindo. Você não pode repentinamente extingui-los, mas acredito que o governo está fazendo isso de forma paulatina”, comentou.

O executivo explica que a maior influência desse processo no mercado de seguros está na área de automóveis, com a isenção do IPI, que se estenderá também para os caminhões. “No próximo ano, o governo estará presente e incentivando o desenvolvimento do setor de seguros, em especial, porque este segmento, através de suas reservas é um dos maiores formadores de poupança”, finalizou Queiroz.

Comentários

comentários

Fonte: Approach

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta