Ano de 2009 ainda rende boas notícias para seguradoras

Ano de 2009 ainda rende boas notícias para seguradoras

1 307

O Grupo Bradesco de Seguros e Previdência, líder no mercado segurador latino-americano, encerrou o exercício de 2009 com mais de 30,822 milhões de clientes, 12,11% a mais do que no ano anterior. A empresa pagou, em 2009, R$ 17,720 bilhões em indenizações e benefícios a segurados, participantes de planos de previdência complementar aberta e seus beneficiários e a portadores de títulos de capitalização. Esse valor é 8,06% maior que o apurado em 2008.

A companhia faturou R$ 26,333 bilhões de janeiro a dezembro 2009 nos segmentos de seguro, capitalização e previdência complementar aberta. O valor representou uma evolução de 13,75% em relação aos R$ 23,1 bilhões totalizados no mesmo período de 2008. A Bradesco lidera o mercado com cerca de 23,73% de participação na receita global do setor.

Já a Brasilveículos alcançou 1 milhão de veículos segurados, fechando o ano de 2009 com um crescimento de 27% em prêmios retidos, quando comparado com o período anterior. O BB Seguro Auto, produto da companhia, registrou um índice de renovação de seguros de 82%. A Brasilvéiculos obteve ainda retorno de 19,15% sobre o patrimônio líquido. Concentrando seus investimentos em inovações tecnológicas, a empresa registrou mais de 150 mil acessos mensais em seu site (www.bbseguroauto.com.br).

“Em 2010, a Brasilveículos continuará privilegiando o gerenciamento rigoroso do resultado operacional e intensificará o investimento na diversificação dos canais de comercialização, em inovações e em tecnologia, liderando mudanças significativas na forma como as seguradoras de automóveis se relacionam com os clientes”, afirma Julio Cezar Alves de Oliveira, presidente da Brasilveiculos Companhia de Seguros.

Seguradoras internacionais também registraram bons resultados, mesmo com a crise

O presidente da Mapfre, José Manuel Martínez, comunicou que o lucro líquido da empresa, em 2009, alcançou 926,8 milhões de euros, o que implica em um aumento de quase 3% com relação ao ano anterior, reduzindo a sua dívida em mais de 980 milhões de euros e incrementando seu patrimônio líquido em mais de 1,37 bilhões de euros (24,1%). As receitas consolidadas superaram os 18,8 bilhões de euros, 6,3% a mais que em 2008. A companhia destinou 434,3 milhões para dividendos, 6,7% a mais que em 2008.

No fechamento de 2009, os ativos totais administrados pelo grupo aproximavam-se dos 43,10 bilhões de euros, 3,4% a mais que em 2008; e o patrimônio administrado superava os 49,57 bilhões, com um incremento de 3,8%.

Já a Munich Re, uma das maiores resseguradoras do mundo, registrou um lucro líquido de 2,56 bilhões de euros em 2009, 62% acima do resultado obtido em 2008. O volume de prêmios apresentou alta de 10%, para 41,4 bilhões de euros, de acordo com as informações do grupo.

O incremento no lucro foi justificado pela melhora dos mercados acionários e por uma fraca ocorrência de furacões em 2009. Já o avanço do faturamento resulta do reajuste do preço de seguros e de resseguro para compensar as perdas registradas em 2008 e também pela venda de resseguro para seguradoras que precisavam manter o nível de alavancagem de capital dentro das margens exigidas pelos órgãos reguladores.

Comentários

comentários

Fonte: Funenseg - Assessoria de Comunicação

ARTIGOS SIMILARES

1 COMENTÁRIO

  1. Alô Bradescão faça com que os corretores de suas agencias tenham igualdade de preços conosco que estamos de fora das ag. vamos ver se o seu lucro será o mesmo em crescimento ( alô sincor tá na hora de acabar com essas palhaçadas de seguro GUELA ABAIXO né.

Deixe um resposta