Ator conta que irmão médico sofreu sequestro-relâmpago na Baixada

Ator conta que irmão médico sofreu sequestro-relâmpago na Baixada

0 260

O ator Marcius Melhem – que interpreta Radesh, na novela “Caminho das Índias” – contou que o irmão, o médico Eduardo Vinícius Melhem, coordenador da UPA de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, foi baleado primeiro e assaltado depois. O médico foi vítima de um sequestro-relâmpago na noite de sexta-feira (31).
A vítima foi salva por uma medalha do anjo da guarda, segundo os médicos do hospital Copa D’ Or, onde a bala resvalou. O projétil está alojado superficialmente no ombro do paciente, que não corre risco de morrer.

Abordagem com tiro

Marcius contou que o irmão falava ao celular com uma amiga e não percebeu a abordagem dos assaltantes. Ele estava em seu carro passando lentamente por um quebra-molas, quando os três homens, que estavam a pé, atiraram e entraram no carro dele.

“Foi essa amiga que percebeu que ele estava sendo assaltado e me ligou. Fiquei desesperado. Tentava ligar para ele e não conseguia. Entrei em contato com o secretário de segurança de Belford Roxo, coronel Francisco D’Ambrosio, que na mesma hora entrou em contato com equipes da polícia para procurar meu irmão”, contou o ator.

O médico disse ao ator que os três assaltantes atiraram primeiro e entraram em seu carro depois. Os assaltantes achavam que Eduardo estava tentando fugir, disse Marcius.

“Mesmo ferido, Eduardo foi obrigado a ficar circulando de carro com os bandidos, que o ameaçavam o tempo todo. Depois de roubarem laptop, celulares, dinheiro, cheques e cartões, eles o deixaram com o próprio carro num terreno abandonado. Meu irmão, então, voltou dirigindo para a UPA, onde pediu socorro e foi transferido para o Copa D’Or”, contou o ator.

‘Nasceu de novo’

“Ele nasceu de novo”, disse o diretor médico do hospital Copa D’Or, Antônio Carlos Moraes, onde está internado o capitão bombeiro Eduardo Vinícius de Assis Melhem, de 35 anos. Segundo Moraes, o médico baleado foi salvo por uma medalha do anjo da guarda, que desviou a bala atirada contra seu peito.

Segundo Moraes, a bala resvalou no peito e se alojou no ombro direito. O impacto causou uma contusão pulmonar, que está sendo tratada com analgésicos. Melhem, segundo o diretor do hospital, não corre risco de morrer.

O chefe de terapias intensivas do Copa D’Or, Nestor Charris, informou que Melhem passa bem. Ele foi transferido na manhã deste sábado (1º), do CTI para o quarto da Unidade Semi-Intensiva. O paciente deverá ter alta nas próximas 48 horas. A bala, que ainda está alojada no ombro, poderá ser retirada posteriormente.

O caso ocorreu por volta das 21h de sexta-feira (31), de acordo com o plantão da Polícia Militar, e foi registrado na 54ª DP (Belford Roxo). Os assaltantes conseguiram fugir.

Preocupação nas ruas

Atualmente, andar nas ruas da cidade com tranquilidade é cada vez mais incomum. A quantidade de notícias que circulam sobre assaltos e sequestros deixa a população amedrontada. Desde setembro de 2008, a Susep (Superintendência de Seguros Privados) permitiu a comercialização, no Brasil, do seguro sequestro. Porém, nenhuma empresa pediu autorização para operar com a modalidade, que nada mais é do que um seguro para danos patrimoniais sofridos por pessoas físicas em decorrência de crime de extorsão.

Segundo Gustavo Mello, professor da Escola Nacional de Seguros e especialista no assunto, não é correto pensar que o seguro sequestro estimula o crime. “É importante explicar como funciona o produto para que todos possam entender. Caso alguém da família segurada seja sequestrado, não é dado dinheiro para pagar o resgate. Após todo o processo de negociação e definição do que será feito, o seguro reembolsa o dinheiro que foi pago pelo resgate”, explica o especialista.

Comentários

comentários

Fonte: G1 - Seguro em Pauta

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta