Chubb encerra 2009 com lucro líquido de R$ 37,5 milhões e R$...

Chubb encerra 2009 com lucro líquido de R$ 37,5 milhões e R$ 846 milhões de ativos

0 270

A Chubb do Brasil, uma das maiores operações da The Chubb Corporation fora dos Estados Unidos e a maior da América Latina, divulga hoje o resultado financeiro referente ao ano de 2009.

Diante de em um cenário econômico atípico e desafiante, a companhia demonstrou habilidade e encerrou o último ano com R$ 51,7 milhões de lucro bruto, antes dos impostos e participações. A Chubb fechou o ano com R$ 846 milhões de ativos totais e seu patrimônio líquido teve crescimento de 12,9% em relação a 2008. 

O resultado do ano é conseqüência de um crescimento de 7,7 % nos prêmios retidos, somado a uma forte intensificação do foco da administração no resultado positivo das operações de seguros antes dos tributos, que atingiu R$ 38,4 milhões, ultrapassando em 18,5% o resultado do ano passado. 

“Esses resultados positivos só foram possíveis porque, ao longo de todo o ano, mantivemos uma forte disciplina de subscrição, conservadora filosofia de investimentos, um controle intensivo de fluxo de caixa e uma forte posição de capital. Todas as características que continuam a nos diferenciar no mercado e permitiram que a Chubb do Brasil tivesse um ótimo desempenho frente aos desafios que surgiram nesse período”, avalia o presidente & CEO da companhia, Acacio Queiroz. 

O índice de sinistralidade de 47,8% se manteve bastante abaixo da média do mercado, aproximadamente 52% no período. As despesas de comercialização reduziram em 2% de dezembro de 2009 em relação ao mesmo período em 2008. “A ênfase no controle de despesas foi muito importante no difícil momento econômico que existia no período. As despesas foram avaliadas quanto a sua necessidade e relação com a geração de lucros. Foi necessário, mais do que nunca, espírito de inovação e criatividade para fazer mais com menos”, destaca Acacio. 

As despesas administrativas, no entanto, cresceram um ponto percentual (de 11,8% para 12,5%), indicando forte investimento da companhia em pessoas e processos, por meio de iniciativas que promoveram aprimoramento profissional e motivacional, implementação de ferramentas ainda mais eficientes, entre outras medidas que reforçam a filosofia Chubb de valorização de sua equipe. 

O índice combinado ampliado, cujo conceito Susep é o percentual obtido dividindo-se os sinistros retidos mais as despesas de comercialização, somando-se as despesas administrativas, as despesas com tributos pelos prêmios ganhos e o resultado financeiro, foi de 77,2 % contra 73,4 % no mesmo período do ano anterior. Já o índice combinado, cujo conceito Susep é o percentual obtido dividindo-se os sinistros retidos mais as despesas de comercialização, as despesas administrativas, despesas com tributos pelos prêmios ganhos atingiu 81,8 % no ano contra 78,4 % em dezembro de 2008. 

Segundo o presidente & CEO da Chubb, o atual índice combinado permitirá que a companhia cresça ainda mais ao longo de 2010. “Continuaremos investindo nas linhas foco e desenvolvendo alianças estratégicas de longo prazo com corretores e parceiros, o que já é uma característica da Chubb. Esse índice nos permitirá dar continuidade, no próximo exercício, a algumas adequações técnicas em carteiras que demandarem ajustes e a seguir com a nossa expansão geográfica”, afirma. O resultado financeiro foi de R$ 35,5 milhões positivos, refletindo positivamente a política de investimentos da companhia focada em títulos em reais. 

A Chubb conta com uma carteira mais diversificada e apresenta um crescimento acima da média do mercado ao longo dos últimos anos, mantendo uma disciplina de subscrição e controle de despesas, e destacando-se positivamente nas operações da Corporação na América Latina, apresentando de forma consistente bons resultados brutos (antes do resseguro) na avaliação da Chubb Corporation. 

“O resultado de 2009 da Chubb do Brasil foi dentro das expectativas e continuará contribuindo na construção de valores da empresa no Brasil, com especialização, foco e solidez, em uma procura contínua para prover o melhor serviço de sinistros aos nossos clientes e corretores”, finaliza Acacio.

..

Premiações – A Chubb conquistou a honra de figurar, pela terceira vez consecutiva, entre as cinco melhores empresas em Recursos Humanos e Inovação e Qualidade do prêmio “As Melhores da Dinheiro” da revista IstoÉ Dinheiro. O prêmio é resultado de um dos mais abrangentes rankings empresariais do Brasil, que premia as companhias com faturamento superior a R$ 50 milhões. A classificação é baseada pelas empresas participantes aos profissionais da Trevisan e da BDO Trevisan.  

A seguradora também foi um dos destaques, pelo quinto ano consecutivo, da tradicional edição da revista Conjutura Econômica sobre o mercado segurador brasileiro. A Chubb foi posicionada como a maior seguradora por patrimônio líquido ajustado entre as especialistas e a melhor na categoria dos autos. A análise para a classificação no ranking é elaborada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre – FGV). 

A Chubb foi ainda um dos destaques no Prêmio Segurador Brasil 2009, obtendo a melhor performance nas categorias de automóveis, residência e seguro prestamista. 

 ..

Ações corporativas – Reconhecida como Seguradora Platinum, em virtude da qualidade e dos diferenciais de seus produtos, a Chubb Seguros reforçou seu programa de encantamento dos clientes com o Programa Encantar, lançado em 2008. Trata-se de um processo cultural focado no gerenciamento do relacionamento com os segurados através do seu CRM (Customer Relationship Management). Esta cultura de clientividade transforma cada um dos seus profissionais em um ator-chave no relacionamento com os clientes, de forma a garantir a antecipação de expectativas e anseios dos mesmos visando a valorização e a retenção dos principais clientes. O sucesso da estratégia de CRM vem da compreensão de que uma filosofia de negócios envolve tecnologia e processo, organização e pessoas, estratégia e negócios. 

Em 2009, a Chubb investiu em sua infraestrutura de sistemas e processos, buscando ganho de produtividade e eficiência. Esse investimento possibilita o crescimento sustentado da companhia, principalmente com foco na melhoria constante das ferramentas utilizadas pelos seus parceiros de negócios e corretores de seguros como, por exemplo, a nova versão do portal de serviços na Internet.

 ..

Operações de resseguro no Mercado Aberto – Ao final de 2008, com a abertura do mercado de resseguros no Brasil, o grupo Chubb abriu uma resseguradora admitida no país, a Federal Insurance. Em 2009, esta resseguradora admitida – respeitando as regras estabelecidas por lei com relação ao direito de preferência – operou como resseguradora cativa dos negócios da Chubb Seguros e apurou um resultado operacional de R$ 4,6 milhões no período.

 

A empresa no exterior – A Chubb do Brasil, fundada em 1845, é hoje a empresa de seguros mais antiga em operação no Brasil e uma das mais antigas no continente americano. A empresa é subsidiária da americana The Chubb Corporation, fundada em 1882, uma das maiores empresas de seguros dos Estados Unidos e do mundo, com 120 escritórios operando em 27 países ao redor do mundo, prêmios retidos até dezembro de 2009 de US$ 11,1 bilhões, lucro líquido de US$ 2,2 bilhões e emergiu como líder na indústria de seguros não baseada em tamanho e sim pela longevidade. Em 2009 apesar da turbulência no mercado de capitais destacou-se pela solidez financeira não só pelo significativo resultado operacional mas pela bem sucedida filosofia conservadora em administrar seu portifolio de investimentos. Os resultados continuam a destacar a Chubb e evidenciam claramente o compromisso com a rentabilidade sustentada. A The Chubb Corporation recebeu as classificações A+ pela Standard & Poor´s , A+ pela Fitch Ratings, e A2 pela Moody´s e as Companhias de Seguros do Grupo Chubb receberam as classificações A++ da AM Best, AA pela Standard & Poor´s e Fitch Ratings e Aa2 pela Moody´s.

 .. 

Indicadores Chubb do Brasil

Ano base: 2009

.. 

Indicador Valor
Lucro bruto R$ 51,7 milhões
Lucro líquido R$ 37,5 milhões
Resultado financeiro R$ 35,5 milhões
Patrimônio líquido R$ 306,7 milhões
Ativos totais R$ 846,0 milhões
Retorno sobre patrimônio líquido 13,8%
Índice de sinistralidade 47,8%
Índice combinado ampliado 77,2%
Índice combinado 81,8%

Comentários

comentários

Fonte: Approach

ARTIGOS SIMILARES

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta