Chubb fecha primeiro semestre de 2009 com lucro bruto de R$ 21,9...

Chubb fecha primeiro semestre de 2009 com lucro bruto de R$ 21,9 milhões e R$ 755,6 milhões em Ativos Totais

0 321

A Chubb do Brasil, uma das maiores operações da The Chubb Corporation fora dos Estados Unidos e a maior da América Latina, registrou lucro bruto – calculado antes dos impostos e participações – de R$ 21,9 milhões no primeiro semestre de 2009, e líquido de R$ 16,5 milhões. A companhia vem alcançando melhores posições, desde 2004, no ranking de Seguradoras segundo fonte Susep (não inclui Saúde e Previdência), ocupando a 14ª posição em dezembro de 2008.

O resultado do período é conseqüência de um crescimento de 10,5 % nos prêmios retidos, somado a uma forte disciplina de subscrição, à filosofia conservadora de investimentos e a uma forte posição de capital, todas as características que continuam a diferenciar a Chubb no mercado. O índice de sinistralidade de 50,7% se mantém abaixo da média do mercado, que é de aproximadamente 53% no período.

Segundo o Presidente & CEO da companhia, Acacio Queiroz, a política da empresa de investimento em pessoas e processos bem como o forte foco no ganho de produtividade e o constante monitoramento de suas despesas, explica a estabilidade do índice de despesas administrativas (de 13,1 % para 13,6 %). As despesas de comercialização, de 17,5 %, estão 2.5 pontos percentuais menores que o mesmo período do ano passado, de 20,0%.

O índice combinado ampliado, cujo conceito Susep é o percentual obtido dividindo-se os sinistros retidos mais as despesas de comercialização mais as despesas administrativas mais as despesas com tributos pelos prêmios ganhos mais o resultado financeiro (resultado industrial mais financeiro), foi de 80,7 %. Já o índice combinado, cujo conceito Susep é o percentual obtido dividindo-se os sinistros retidos mais as despesas de comercialização, mais as despesas administrativas, mais as despesas com tributos pelos prêmios ganhos (resultado industrial) atingiu 85,7 % no semestre.

Na avaliação do executivo, “o atual índice combinado permitirá um crescimento ainda maior da empresa ao longo do ano, investindo nas linhas foco”. O CEO destaca ainda uma estratégia de crescimento baseada em alianças de longo prazo com corretores. “Nós continuaremos a fazer as adequações técnicas para o próximo exercício nas carteiras que necessitarem de alguns ajustes, e continuaremos com a expansão geográfica das operações da seguradora”, ressalta.

A companhia registrou um resultado financeiro de R$ 18,5 milhões positivos, fruto de uma assertiva política de investimentos em títulos em reais. O Patrimônio Líquido atingiu R$ 287 milhões em junho de 2009 contra R$ 256 milhões no mesmo período de 2008 apresentando um crescimento de 12 %. A empresa encerrou o primeiro semestre de 2009 com R$ 755,6 milhões em ativos totais.

Na avaliação final, a Chubb conta com uma carteira mais diversificada, com um crescimento acima da média do mercado ao longo dos últimos anos, mantendo uma disciplina de subscrição e controle de despesas, e destacando-se positivamente nas operações da Corporação na América Latina apresentando de forma consistente bons resultados brutos (antes do resseguro) na avaliação da Corporação Chubb. “O resultado acumulado de junho de 2009 da Chubb do Brasil foi dentro das expectativas e continuará contribuindo na construção de valores da empresa no Brasil, com especialização, foco e solidez, em uma procura contínua para prover o melhor serviço de sinistros aos nossos clientes e corretores”, afirma Queiroz.

A Moody´s reafirmou à operação brasileira as classificações de força financeira de seguradoras Aaa.br, na escala nacional brasileira, e Baa2, na escala global moeda local. De acordo com a Moody´s, estas classificações refletem a diversificação de produtos, o nível de subscrição adequado comparativamente a seus pares, a eficiência de distribuição e a utilização de múltiplos canais pela Chubb do Brasil. Reafirmou ainda que a capacidade operacional da companhia é sustentada por sua forte infra-estrutura local, bem como por suas subscrições compartilhadas, sinistros, e por seu expertise atuarial e financeiro, que desfruta como parte do globalizado Grupo Chubb de companhias seguradoras, que subscreve seguros pessoais, comerciais e especiais, mundialmente.

A Chubb no exterior – The Chubb Corporation, fundada em 1882 e hoje está entre as maiores empresas de seguros dos Estados Unidos e do mundo, com operações em 27 países, com prêmios retidos até Junho de 2009 de US$ 5,6 bilhões e um lucro líquido de US$ 0,9 bilhões e emergiu como líder na indústria de seguros não baseada em tamanho e sim pela longevidade. A Chubb Corporation recebeu as classificações A+ pela Standard & Poor´s e pela Fitch Ratings, e A2 pela Moody´s e as Companhias de Seguros do Grupo Chubb receberam as classificações A++ da AM Best, AA pela Standard & Poor´s e Fitch Ratings e Aa2 pela Moody´s.

Premiações Recebidas e outras Ações Corporativas – A Chubb Seguros está entre as cinco melhores seguradoras em Recursos Humanos e Inovação e Qualidade do prêmio “As Melhores da Dinheiro” da revista Istoé Dinheiro. Também foi uma das premiadas no ranking da revista Conjuntura Econômica, publicação da Fundação Getúlio Vargas, como a maior seguradora por patrimônio líquido ajustado entre as especialistas e a melhor na categoria dos autos. A Empresa ainda ocupa a segunda posição em duas outras categorias: melhores em seguro patrimonial e melhores seguradoras especialistas.

A Chubb, reconhecida como a Seguradora Platinum do mercado em virtude da qualidade e dos diferenciais de seus produtos, reforçou intensamente o programa de relacionamento com dos clientes, através do Programa Encantar, lançado em 2008. Este é um processo cultural focado no gerenciamento dos segurados através do seu CRM (Customer Relationship Management). Esta cultura de “clientividade” transforma cada um dos seus profissionais em um ator-chave no relacionamento com os clientes de forma a garantir a antecipação de expectativas e anseios dos mesmos visando a valorização e a retenção dos principais clientes. O sucesso da estratégia do CRM vem da compreensão de que uma filosofia de negócios envolve tecnologia e processo, organização e pessoas, estratégia e negócios.

Ainda com esta visão, em abril, a Chubb do Brasil reuniu representantes de suas Centrais de Negócios em um evento para discutir as principais tendências de mercado, apresentar produtos que a empresa pretende lançar ao longo do ano e dividir experiências vividas pelos profissionais em diferentes partes do país, buscando o aprimoramento das relações entre corretores e o cliente final.

Governança Corporativa – O bom desempenho da cmpanhia vem sendo acompanhado também pela melhoria constante do processo operacional e atenção da administração no desenvolvimento dos controles internos. O semestre teve como principal foco a melhoria de processos na área de sinistros. Um Comitê de Controles Internos com executivos da empresa acompanhou o desenvolvimento destes trabalhos. Além disso, um dos pontos fortes da empresa são as ações de cidadania que promove ou participa, visando o desenvolvimento humano sustentável e respeitando os interesses de todos, com o objetivo de incentivar seus colaboradores a terem um olhar mais atento às questões sociais do país. A companhia prioriza projetos que possibilitem a capacitação do ser humano, para que ele próprio possa estar apto a buscar, por meio de trabalho e estudo, sua integridade e sobrevivência.

Comentários

comentários

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta