Pesquisa avalia o estágio de governança das entidades de previdência no Brasil

Pesquisa avalia o estágio de governança das entidades de previdência no Brasil

0 302

Com o objetivo avaliar o estágio de governança das entidades de previdência no Brasil, a Deloitte, com o apoio institucional da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), realizou a pesquisa inédita “Governança corporativa em fundos de pensão”. O estudo teve como meta traçar a visão e as práticas das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPCs) sobre o tema, assim como avaliar o atual estágio de governança dessas entidades no Brasil e contribuir para com a melhoria da gestão dessas empresas.

As 68 entidades que participaram da amostra da pesquisa contam com aproximadamente 800 mil participantes ativos e 300 mil assistidos, além de cerca de 700 patrocinadores. Essas EFPCs constituem uma amostra bastante representativa dos recursos investidos pelos fundos de pensão brasileiros, sendo equivalente a aproximadamente 10% do PIB.

Quando questionadas sobre o nível de confiança na eficácia dos procedimentos relacionados à governança corporativa, mais de 60% das entidades creem ter níveis bons ou muito bons de eficácia. Apenas 5% acreditam que os fundos deveriam melhorar suas práticas (avaliação regular). Nenhuma das entidades apontou o item “insuficiente”, ao avaliarem o nível de eficácia de suas práticas de governança corporativa.

Das entidades que contam com trabalhos de auditoria interna, 30% entendem que as oportunidades de melhorias identificadas pela área não são devidamente implementadas pela entidade. O percentual pode estar diretamente associado a um baixo volume de horas gastas para a realização de follow-up dos aspectos identificados nos trabalhos de campo e à falta de agilidade na comunicação e disseminação da importância da auditoria interna na melhoria dos processos das entidades.

Além disso, segundo a pesquisa, performance e procedimentos da auditoria interna não foram revisados pela alta administração das entidades, de acordo com 53% dos respondentes. No entanto, existe um processo de conscientização em andamento, pois, para 33% da amostra, a alta administração procurou realizar uma revisão dos trabalhos no último ano. Detalhe: das quatro maiores entidades da pesquisa, em valor de ativos, que responderam à questão, 75% apontam para uma revisão de performance e procedimentos pela alta administração no último ano.

As empresas analisadas consideram que um sistema adequado de governança deve proporcionar, em primeiro lugar, a identificação dos riscos associados ao negócio, além de propor alternativas para seu gerenciamento, conforme indicaram 59% dos respondentes. Para praticamente metade da amostra, as estruturas de governança também devem favorecer a aderência às normas internas e às regulamentações do mercado.

A análise completa dos dados traz a oportunidade de mensurar a visão e as práticas das EFPCs diante dos desafios regulamentares e de mercado que estão sendo introduzidos ao longo dos últimos anos.

Além disso, os resultados da pesquisa propiciam uma melhor compreensão do universo das entidades de previdência. Com uma visão fornecida pelos próprios representantes de tais entidades, o estudo evidencia o grau de maturidade dessas grandes geradoras de benefícios diretos e indiretos, pois os fundos de pensão são também fontes relevantes de investimentos para a economia brasileira.

Comentários

comentários

Fonte: Inpresspni

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta