SINDSEG RS lança nova logomarca e campanha institucional

SINDSEG RS lança nova logomarca e campanha institucional

0 495
Nova logomarca do Sindseg/RS
Nova logomarca do Sindseg/RS

Até a presente data, o Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Capitalização e de Resseguros, no Estado do Rio Grande do Sul era conhecido como SINDESERGS. Um sindicato forte e atuante, com mais de 100 anos de história, porém com uma atitude até então discreta diante da mídia.

Mas agora o Sindicato mudou. A atuação firme em prol da indústria do seguro e do Estado mantém-se, porém sob uma nova marca: SINDSEG/RS. Um nome novo, mais simples, acompanhado do slogan QUEM SEGURA, PRESERVA. Através desta mudança, mais o lançamento na mídia de campanha institucional, o Sindicato visa enaltecer a relação de confiança entre as Seguradoras e os gaúchos, além de se posicionar como fonte sobre a categoria para a imprensa e o mercado de modo geral.

Para desenvolver esta proposta e o composto comunicacional, o SINDSEG/RS incumbiu à agência Ideiabox Propaganda & Marketing. Com a nova logotipia, slogan e peças que enfocam o conceito da tranqüilidade que só as pessoas seguradas têm, a campanha mostra com simplicidade que contar com as seguradoras é sempre melhor do que contar com a sorte.

A campanha iniciou neste dia 01 de setembro de setembro, com spots na rádio Gaúcha, anúncios em jornais e outdoors em Porto Alegre e Região Metropolitana. A campanha deverá permanecer na mídia por um período indeterminado e o SINDSEG RS também vai investir em outras ações de comunicação até o final do ano, destacando sempre a importância social e econômica da indústria do seguro.

A indústria do Seguro tem importante papel na economia nacional e regional. Sem ela, o desenvolvimento e a geração de renda não seriam possíveis na escala que temos atualmente. A contribuição decisiva do setor para o desenvolvimento da economia brasileira deve-se à natureza dos serviços proporcionados, a contribuição para o PIB do Brasil e ao emprego de mão-de-obra.

Segundo definição do IBGE, as sociedades de seguros, planos de saúde suplementar e fundos de pensão tem como objetivo principal “transformar riscos individuais em riscos coletivos, garantindo pagamentos (indenizações ou benefícios) no caso da ocorrência de sinistro”.

Existem no Brasil hoje, classificados oficialmente, 96 ramos de seguros, inseridos em quatro grandes segmentos: Seguros Gerais, Seguro Saúde, Seguro de Pessoas e Capitalização. São 150 companhias de seguros gerais, seguro saúde, previdência privada aberta e capitalização, oito sindicatos regionais, 14 resseguradores, 70 mil corretores de seguros e 18 corretores de resseguros, e aproximadamente 200 mil empregos diretos (dados da Confederação Nacional de Seguros – CNSeg).

A atividade seguradora administra cerca de 11% dos ativos financeiros mundiais – um número que dá uma boa medida de sua importância na economia dos países. No Brasil, o faturamento do mercado de seguros, previdência privada e capitalização atingiu, em 2008, R$ 96 bilhões, o que equivale a cerca de 3,5% do PIB e 44% de toda a produção da América Latina (CNSeg).

Com uma história de 114 anos, o Sindicato das Seguradoras – SINDSEG/RS coordena ações políticas e institucionais, voltadas a capacitação de seus recursos humanos e troca de informações com os diversos segmentos da sociedade. Possui atualmente 33 associadas, sendo cinco empresas gaúchas e 28 sucursais ou representações regionais. A diretoria é composta por 14 dirigentes regionais das empresas seguradoras associadas e quatro membros do Conselho Fiscal. O sindicato mantém três Comissões Permanentes, que desenvolvem ações voltadas ao crescimento, integração, estudo e divulgação da indústria do seguro no Rio Grande do Sul. São elas a Comissão de Comunicação e Marketing, Comissão de Responsabilidade Social e Comissão de Educação e Cultura do Seguro.

O site do Sindicato das Seguradoras – SINDSEG/RS, www.sindsegrs.com.br, contém todas as informações sobre o setor de seguros, agenda de eventos, glossário, empresas seguradoras e links para entidades do setor.

Comentários

comentários

Fonte: Rose Scherer

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta