SulAmérica é a primeira seguradora a fazer parte do Índice de Sustentabilidade...

SulAmérica é a primeira seguradora a fazer parte do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa

0 272

A Sul América S.A. (BM&FBovespa SULA11) passará a integrar a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa a partir de dezembro. O anúncio da nova carteira foi feito hoje pela bolsa e a SulAmérica é a primeira seguradora a fazer parte do índice. No total, a carteira do índice consistirá de 43 ações de 34 empresas que representam 15 setores e somam 730 bilhões de reais em valor de mercado. Nesta recente revisão, oito novas empresas passaram a integrar o índice, juntando-se a outros 26 nomes que já faziam parte da carteira.

 

“Esse é um reconhecimento importantíssimo para a SulAmérica, que reflete a relevância que a companhia tem dedicado a este tema nos últimos anos, tanto em suas prioridades estratégicas quanto em suas operações”, afirma o vice-presidente Corporativo e de Relações com Investidores, Arthur Farme d’Amoed Neto. O executivo destaca ainda o fato da SulAmérica ter ingressado na bolsa há pouco mais de dois anos e já estar fazendo parte de um dos seus mais importantes índices. “Isto nos deixa ainda mais motivados, e mostra que já havia uma grande coerência em nossas ações no plano da sustentabilidade”, complementa.

 

O incentivo à utilização de tinta à base de água no reparo dos veículos acidentados que são atendidos nos Centros Automotivos da SulAmérica, reduzindo impactos ambientais, e o pioneirismo na adoção da certificação digital nos relacionamento com prestadores de serviços médicos, eliminando a troca de documentos impressos e contribuindo para que fossem poupadas várias toneladas de papel por ano, são alguns aspectos que demonstraram o amplo comprometimento da SulAmérica com a sustentabilidade. E para dar ainda mais impulso ao desenvolvimento de suas ações nessa área, a companhia criou recentemente uma gerência que coordenará em alto nível todas essas ações.

 

 O ISE foi criado em dezembro de 2005 e formulado com base no conceito internacional Triple Bottom Line (TBL), que avalia, de forma integrada, elementos ambientais, sociais e econômico-financeiros. Aos princípios do TBL foram adicionados outras três dimensões: governança corporativa, características gerais e natureza do produto. As ações integrantes do ISE são selecionadas entre as 150 mais negociadas no pregão em termos de liquidez, e ponderadas na carteira pelo valor de mercado dos ativos disponíveis à negociação. A metodologia do índice foi desenvolvida pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) com o apoio financeiro do International Finance Corporation (IFC).

Comentários

comentários

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta