Susep quer implantar microsseguro este ano

Susep quer implantar microsseguro este ano

0 293

O titular da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Armando Vergilio dos Santos Júnior, corre para implantar ainda este ano as bases da comercialização do microsseguro, hipótese que ainda julga factível. Segundo ele, já está marcado um seminário no para apresentar ao mercado as conclusões do relatório final da Comissão Consultiva de Microsseguros. Será nos dias 10 e 11 de setembro no Rio de Janeiro.
O grupo, que une representantes do governo e do setor privado, foi criado em junho do ano passado, pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), para estudar o assunto e formatar um produto que atenda às necessidades da população de menor poder aquisitivo. Caso o relatório seja aprovado, o próximo passo será tirar, de fato, o microsseguro do papel, garantiu Armando Vergilio.

Já adotado em países como a Índia e a China, o microsseguro pode atender a até 100 milhões de brasileiros das classes de baixa renda, segundo estimativas repetidas pelo próprio superintendente da Susep. A idéia é oferecer coberturas básicas para a residência, vida e pequeno comércio em comunidades carentes. Além da movimentação na Susep, há projetos tramitando no Congresso Nacional que estabelecem normas para a criação de seguradoras especializadas em microsseguros e para a atuação de corretores nesse segmento.

NOVOS PLANOS

Armando Vergílio esteve em Recife, no início da semana, onde fez palestra durante o ‘Encontro com o Mercado Pernambucano de Seguros’, organizados pelos sindicatos de corretores e seguradores do estado. Ele falou também sobre o PrevSaúde e o PrevEducação, produtos desenhados pela Susep. Segundo ele, não haverá tributação incidente sobre esses planos, caso a empresa contratante queira ajudar o trabalhador a fazer esse recolhimento. Ao final de um determinado prazo, caso o segurado não queira usufruir os seguros, pode fazer a retirada do prêmio, descontando os impostos previstos sobre o lucro, como em qualquer outra modalidade de previdência.

Comentários

comentários

Fonte: Jornal do Commercio RJ

ARTIGOS SIMILARES

SEM COMENTÁRIOS

Deixe um resposta